Violência pós-eleitoral na Guiné-Conacri: 9 mortes, incluindo um polícia em Conacri e no interior

Nos dias de 19 a 21 de Outubro de 2020, após a proclamação da alegada vitória do líder da União das Forças Democráticas da Guiné (UFDG) Mamadou Cellou Dalein DIALLO nas eleições presidenciais de 18 de Outubro de 2020, os militantes do referido partido invadiram as estradas em alguns bairros da comuna de Ratoma, em Conakry, impedindo qualquer movimento; erguendo barricadas e fazendo ameaças e insultos em locais contra cidadãos que exerciam livremente as suas actividades.

Alpha Condé e seu adversario Cellou Dalen Djalo

Em Conakry na estrada “Leprince”, de Hamdallaye à T5, de Wanindara através das rotundas de Bambéto, Cosa e Enco5, foram registados múltiplos ataques a cidadãos pacíficos, bem como a montagem de barricadas, pneus queimados, troncos de árvores, blocos de pedras e outras lajes para impedir os serviços de segurança de realizarem as suas missões regalianas de protecção de pessoas e bens no cume até altas horas da noite. Observámos disparos de calibre 12, particularmente nos bairros de Sonfonia, Bailobaya e Cimenterie. A AP de Niariwada foi incendiada.

Nas prefeituras do Interior, particularmente em Kissidougou e Coyah, foram registados incidentes entre militantes da UFDG e os de outras formações políticas, incluindo o RPG Arc en ciel. Foram ouvidos tiros com uma calibre 12 no bairro de Sogbè. Após a intervenção das agências de aplicação da lei, a calma foi restaurada. No entanto, na manhã de 21 de Outubro, os confrontos entre militantes recomeçaram nos locais.

Em Coyah, militantes que afirmavam ser da UFDG atacaram a casa do chefe do bairro de Friguiadi, saquearam e saquearam a esquadra da polícia antes de serem dispersos pelos serviços de segurança. Um veículo CMIS de Coyah ficou debaixo de fogo no mesmo bairro.

Mais grave, foram relatados ataques direccionados contra concessões no interior do país, nos subúrbios superiores de Conakry, bem como contra as sedes dos partidos presidenciais e as casas dos seus activistas. A propósito, o Ministério da Administração do Território e da Descentralização publicará a lista de factos.

Estes factos são, infelizmente, agravados pela perda de vidas humanas.

Como resultado destes incidentes e confrontos, quatro corpos de vítimas de armas foram depositados nas morgues do Hospital Donka e Ignace Deen, uma morte por faca e duas outras por arma de fogo de calibre 12 foram também registadas em Kissidougou.

Também em Coyah, um cidadão local foi alvejado com uma arma de calibre 12. Um polícia foi linchado até à morte em Bambéto e outro apunhalado na Cimentaria, e vários outros foram feridos.

Estes oficiais, que não estavam armados com armas letais, faziam parte do mecanismo posto em prática para remover as barricadas na estrada de Le Prince e manter a ordem. A Direcção Central da Polícia Judiciária encarregou-se imediatamente de todas estas mortes, ordenou autópsias e abriu investigações. Muitos cidadãos foram feridos e houve danos materiais significativos.

Em resultado destes incidentes e confrontos, foram também registados em Kissidougou quatro corpos de vítimas de tiros nos mortuários do Hospital Donka e Ignace Deen, uma morte por facadas e duas outras por armas de fogo de calibre 12.

Um agente da polícia foi linchado até à morte em Bambéto e outro apunhalado na Cimentaria. Vários outros foram feridos. Estes oficiais, sem armas letais, fizeram parte do mecanismo criado para remover as barricadas na estrada “Le Prince” e manter a ordem. A Direcção Central da Polícia Judiciária encarregou-se imediatamente de todas estas mortes, ordenou autópsias e abriu investigações. Muitos cidadãos foram feridos e foram causados danos materiais significativos.

O Ministério da Segurança e Protecção Civil condena esta estratégia de caos orquestrada para pôr em risco as eleições de 18 de Outubro, cuja organização e segurança foram saudadas por todos os observadores e pela comunidade internacional.

Alpha Condé: “Continuo aberto ao diálogo e disponível para trabalhar…
Em conformidade com a Lei 09 de 4 de Junho de 2015, sobre a manutenção da ordem, tranquilizou a opinião nacional e internacional, que já testemunhou os factos, de que está a utilizar todos os seus poderes soberanos para pôr fim a estes actos de violência e crime acompanhados pela destruição de propriedade pública e privada.

Em nome do Governo, o Ministério apresenta as suas condolências às famílias das vítimas, deseja uma rápida recuperação dos feridos e insta os cidadãos da Guiné de todas as lutas políticas a exercerem calma e contenção.

in-Guinénews

Comentarios
estámos no facebook

cap gb o amanha começa aqui

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ligue-nos

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x