UNTG garante a continuidade da luta sindical para dignificar classe trabalhadora guineense

Por: Martinho Mendes

O Secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau (UNTG), reiterou a vontade de continuar a luta sindical até que haja a dignificação dos Trabalhadores.

As palavras de Júlio António Mendonça, foram registadas esta quarta-feira, 28-07-2021, durante as manifestações pacíficas para exigir entre outros pontos, a revisão do Orçamento Geral do Estado em vigor que contempla novos impostos.

Júlio Mendonça afirmou que, não pode se falar em desenvolvimento de um país sem pensar na educação, saúde e infraestruturas admitiu que a classe trabalhadora guineense, podem mudar o destino do país.

O sindicalista destaca data de hoje como o início da revolução na Guine-bissau contra aquilo que considera de exploração por parte dos dirigentes do país e voltou a exigir o aumento de salário mínimo de 100 mil Francos CFA, a revogação de nomeações e contratos feitos sem obedecer aos critérios de ingresso na função pública como pagamento de dívidas e a efetivação dos servidores públicos.

Central sindical juntou centenas de manifestantes para exigir do governo o fim de novos impostos, o aumento de preços de produtos da primeira necessidade no país, o aumento do salário mínimo dos atuais 50.000F CFA para 100 .000F CFA, a revogação de nomeações e contratos feitos sem obdecer aos critérios de ingresso na função pública assim como pagamento de dívidas e a efetivação dos servidores públicos e subsídios milionários aos titulares de órgãos da soberania.

A iniciativa da organização enquadra-se no âmbito das celebrações do dia nacional dos trabalhos que se assinala no próximo dia três de Agosto dia de massacre de pindjiquite.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: