UNTG 03 de agosto, Mendonça apela a entendimento, caso contrario a luta continua

Por: Ussumane Baldé (Fitchas)

Secretário geral da união nacional dos trabalhadores da Guiné “UNTG” garante que enquanto situação de desentendimento permanecer, não haverá estabilidade na Guiné Bissau.

Júlio Mendonça na sua mensagem alusivo 62 anos do massacre de pinjiquiti de 03 de agosto de 1959 na sua sede nacional.

“Todos nós sabemos que saco vazio não pode ficar de pé, somos lembrados só um dia por ano” Lamentou para de seguida alertar aos governantes, “era segredo mais hoje vamos esclarecer todo mundo, que enquanto os nossos problemas não forem resolvidos não haverá estabilidade na Guiné Bissau”.

Mendonça, ainda lamentou daquilo que qualifica de desprezo total da parte do governo perante as reivendicações relativo as atuais impostos e reajuste salarial.

“Enquanto mantiveram com este postura,de não cumprir com o memorando de entendimento, a luta continua e sem trégua”.

O meeting no sede da central sindical foi antecidida da deposição de coroas de flores no monumento “Mon di Timba” perante centena de marchantes, que decorreu num ambiente saúdavel, sem sobressaltos com as forças de ordem.

É de lembrar que o maior sindical do país e o governo não se entendem desde aprovação do orçamento geral do atual governo liderado por Nuno Gomes Nabiam em 2020, que traz vários impostos ao trabalhadores de classe. Desde dezembro que a União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau tem convocado greves gerais na Função Pública. A central sindical exige do Governo a exoneração de funcionários contratados sem concurso público, melhoria de condições laborais e o aumento do salário mínimo dos atuais 50.000 francos CFA para o dobro adicionado aos impostos e regalias que auferem os governantes.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: