Tchad – Eleições presidenciais: a “Quase vitoria” de Idriss Déby

De acordo com os resultados parciais publicados pela Comissão Nacional Eleitoral Independente (CENI), o presidente cessante do TChad, Idriss Déby, candidato do Movimento de Salvação Patriótica (MPS), está em grande parte à frente das eleições presidenciais realizadas a 11 de Abril e apresentadas como uma mera formalidade de acordo com muitos observadores. No poder durante 30 anos, o presidente-marechal teria ganho uma maioria em todos os 51 departamentos anunciados até agora, à excepção de um, e teria obtido uma pluralidade no outro. Os resultados ainda não foram anunciados em 61 departamentos adicionais. Os 7,3 milhões de eleitores chadianos apelaram dos 15 milhões de habitantes que votaram esmagadoramente para renovar o contrato de arrendamento do titular do contrato.

O triunfo das urnas, porém, surge num contexto tenso com o anúncio, no próprio dia das eleições, de um ataque a um posto fronteiriço chadiano por um grupo rebelde com sede na Líbia, a Frente de Mudança e Concórdia no Chade (FACT), que controla um perímetro que inclui a cidade de Gouri, um centro nervoso localizado a 200 km de Faya-Largeau.

No sábado 17 de Abril, o governo britânico disse que um comboio da FACT se dirigia para sudoeste em direcção à capital N’Djamena e tinha passado pela cidade de Faya, a cerca de 770 km (478 milhas) de distância. Outro comboio foi visto a aproximar-se da cidade de Mao, cerca de 220 km (125 milhas) a norte de N’Djamena, disse o governo britânico no seu website de consultoria de viagem. O avanço rebelde fez com que algumas chancelarias acreditassem que a França poderia intervir para salvar o seu aliado mais importante no Sahel, como o fez em Fevereiro de 2019 quando bombardeou uma coluna de rebeldes da União das Forças de Resistência (UFR).

Nascido em Abril de 2016 a partir de uma cisão da União das Forças para a Democracia e o Desenvolvimento (UFDD), que conduziu as ofensivas de 2008 em N’Djamena, a FACT tem sede na Líbia, onde tem um acordo de não agressão com o Marechal Khalifa Haftar, o homem forte do leste da Líbia.

Apesar do contexto tenso, o presidente chadiano participou na tomada de posse do Presidente Denis Sassou Nguesso, reeleito para um quinto mandato como chefe do Congo, na sexta-feira 16 de Abril. O Chade ocupa a 187ª posição entre 189 no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em 2020. Em 2018, 42% da população vivia abaixo do limiar da pobreza, de acordo com o Banco Mundial.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: