SINETSA denúncia retaliações da parte do governo aos aderentes da greve

O presidente do sindicato nacional dos enfermeiros técnicos de saúde e afins, (SINETSA), Yoio João Correia, revelou esta terça-feira, 22-03-2022, que o Governo está a retaliar trabalhadores que aderiram a greve decretada pela União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) no qual acusa o executivo de falta de diligência séria para cumprir com as exigências sindicais.

Yoio João Correia falava na sede da central sindical, na habitual conferência de imprensa das terças-feiras, para manifestar a inquietação do sindicato em relação ao comportamento do governo segundo quais até aqui não está a cumprir com as suas reivindicações.

O sindicalista disse que, apesar de não engajamento da parte do Governo, este continua a retaliar os profissionais do setor de ensino e da saúde com transferências e exonerações destes das suas funções.

Há três meses que não estamos em regime de greve na função pública guineense, mas a falta de diligências sérias da parte do Governo pode vir a comprometer o normal funcionamento das instituições da saúde públicas nos próximos tempos, alertou o médico.

Aquele responsável exige igualmente a criação de condições de trabalho com vista assegurar uma boa prestação de serviços nos diferentes centros e hospitais do país.

O Sindicato de saúde exige ente outro pontos, a aplicação de carreira profissional de saúde, o pagamento de 15 meses de salários aos novos ingresso, conclusão do processo de efetivação dos técnicos de 2014/2015, pagamento de subsídios de vela do anos 2018 e outras exigências.

Após um ano de greve na função pública guineense, UNTG decidiu suspender as paralisações desde janeiro passado para dar benefício de dúvidas ao governo liderado por Nuno Gomes Nabiam.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: