Sindicato da saúde considera de “sem sentido” a requisição civil nos hospitais

Por: Ussumane Baldé

O sindicato nacional dos enfermeiros e técnicos da saúde afins ( SINETSA) condenou esta terça-feira, 26-10-2021 a posição do Governo liderado por Nuno Gomes Nabiam que anunciou ontem em comunicação uma requisição civil para assegurar o funcionamento dos hospitais e centros de saúde pública até final de Dezembro do ano em curso.

A indignação foram transmitida pelo presidente do profissionais de saúde, Yoio João Correia durante a conferência de imprensa promovida na sede da maior central sindical do País UNTG.

yoio João correia crítica a decisão do governo frisando que não faz sentido requisitar pessoas que ainda não terminaram o curso para prestar serviços nos hospitais.

“Enquanto defensores dos trabalhadores dos hospitais públicos, estamos contra esta decisão, não se faz sentido mandar pessoas que ainda nem terminaram cursos para cuidar dos pacientes é incrível”

O sindicalista avisa a missão médica Cubana no país para não interferirem nos assuntos de sindicato e governo, denunciando que alguns estudantes estão a ser forjadas a participar na campanha de vacinação contra covid-19 iniciada por governo salienta que os médicos cubanos têm como missão de formar estudantes e não os forjar fazer algo .

Os sindicatos de saúde exigem do governo entre outros pontos, a conclusão de processo de efetivação, melhoria de condições do trabalho, aprovação de carreira e o pagamento de salários em atraso.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: