Saúde “reduzir a carga da doença do paludismo e salvar as vidas”: Celebrada hoje dia mundial de luta contra paludismo

Por: Epifania Correia Gomes

Ministério da saúde pública, através da direção geral de prevenção e promoção da saúde celebra o dia mundial de luta contra paludismo.

Este ano tem Como lema mundial, aproveitar a inovação para reduzir a carga da doença do paludismo e salvar as vidas.

Na sua declaração hoje 25.04.2022 alusivo ao dia mundial de luta contra paludismo, o secretário geral do ministério da saúde pública, Quiletche  Na Isna  em representação do ministro da saúde, disse que na Guiné-Bissau apesar das melhorias verificadas no domínio de prevenção, diagnóstico e tratamento, o paludismo continua a figurar na lista das doenças que constituem problemas da saúde pública.

Ainda afirma que segundo os dados da INASA, no decorrer de dois mil e vinte e um, foram notificados um total de 181.855 casos de paludismo, incluindo os comunitários, dos quais resultaram em 462 óbitos, assegurando que 21,5% de óbitos foram registados nas crianças menores de 5 anos.

Na Isna, lembra que o último relatório mundial de paludismo da OMS, houve cerca de 241 milhões de casos de paludismo e 627 mil mortes por paludismo em todo o mundo que representa cerca de 14 milhões de casos a mais em relação ao ano anterior, e mais 67 mil mortes, aproximadamente, dois terços dos óbitos adicionais (47 mil) estavam ligados à interrupção no fornecimento de prevenção, diagnóstico e tratamento do paludismo durante a pandemia da covid-19.

Por outro lado o secretário do Ministério da saúde disse que dada a situação que o país depara com a pandemia de covid-19, o programa  nacional da luta contra o paludismo pretende doar a câmara municipal de Bissau tanques de lixos, encomendados pelo PNUD, que vão ser colocados nos lugares onde há necessidade, como forma de diminuir a propagação dos lixos nas valetas e consequentemente os mosquitos.

Para o coordenador do programa  nacional de luta contra o paludismo na Guiné-Bissau, José Ernesto Nanté  disse que os casos do paludismo têm vindo a diminuir no país graças as algumas intervenções que estão a ser aplicados no pais e que  estão a ser implementados aas atividades como TPS nas algumas regiões sanitárias do país, TPS intervenções básicas comunitárias que persiste na administração dos medicamentos no período da chuva onde há mais transmissão da doença.

“estamos a dar medicamentos nas consultas das grávidas logo no segundo trimestre para proteção do paludismo, também tenda multa gratuita, diagnóstico, tratamento e prevenções nas nossas comunidades e tudo isso tem vindo a ter um impactos significativo na redução da doença do paludismo no país e estamos a pensar introduzir pela primeira vez a vacinação das crianças contra o paludismo” Frisou o coordenador do programa nacional de luta contra paludismo na Guiné-Bissau José Ernesto Nanté.
 

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: