RDC: Lava do vulcão Nyiragongo deixa rasto de destruição e morte no Congo

Pelo menos 37 pessoas morreram e cerca de 5 mil pessoas estão agora desalojadas depois de o vulcão Nyiragongo, um dos mais ativos do mundo, ter entrado em erupção no sábado passado

Fenómino que motivou cancelamento da visita projetada do presidente Tshisekedi a Guiné-Bissau, que deveria chegar ao país ontem 24.05 para uma visita de dois dias, que foi adiado sem dia, informou uma fonte na presidencia.

Entre 900 e 2.500 casas foram destruídas pelos fluxos de lava durante a erupção do vulcão Nyiragongo, no leste da República Democrática do Congo, disseram esta terça-feira fontes humanitárias. Segundo a mesma fonte, a estimativa é que, “no mínimo, pelo menos 5 mil pessoas estão agora desalojadas”.

Na segunda-feira à noite, o coordenador provincial da proteção civil no Kivu Norte, Joseph Makundi, fez um novo balanço, dando conta de 37 mortes, com pelo menos sete pessoas a sucumbir aos fumos tóxicos.

Hoje, a situação era muito tensa em Goma, abalada permanentemente por fortes sismos, e onde a população vive com medo de uma nova erupção.

O vulcão Nyiragongo, um dos mais ativos do mundo, entrou em erupção no sábado, levando milhares de pessoas a fugirem da cidade durante a noite, carregando pertences e gado e dirigindo-se para a cidade de Sake ou para a fronteira com o Ruanda. A anterior erupção do Nyiragongo, em 2002, levou milhares a abandonarem as suas casas e provocou centenas de mortos.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: