Presidente da LGDH diz que governo deve apoiar orgãos de comunicação social para o bem da democracia não fecha-los

Por: Ussumane Baldé

O presidente da liga guineense dos direitos humanos afirmou que a democracia não se faz sem a imprensa e reprova a decisão do executivo de silenciar as emissões de setenta e nove radios nacionais.

Augusto Mário da Silva, reagia a decisão do executivo perante a imprensa está sexta-feira, 08-04-2022, na casa dos direitos, aconselhando o executivo de evitar confronto com os órgãos da comunicação social e pelo contrário tentar perceber as dificuldades com que se deparam sobretudo a não regularização atempada.

“Antes de tudo o governo devia perceber o que está a acontecer realmente com as rádios e na democracia não tem espaço para as ‘guerrinha'”.

Ainda, este responsável insta ao governo de voltar atrás com a decisão e ajudar definir um modelo de apoio aos órgãos de comunicação social que estão em causa, para poderem resolver as suas situações, lembrando que a imprensa guinnense está cheia de carência mais consegue apesar de tudo atingir o interesse público.

“Apelo ao governo á não continuar com essa decisão antes tudo tentar procurar saídas”.

De lembrar que o executivo tinha dado prazo as rádios que até 07-04 para regularizarem sob pena de cessarem as suas emissões, obrigando setenta e nove das oitenta e oito radiodifusão ficarem sem poder transmitir ao público, facto a presidente do sindicato nacional dos jornalistas e técnicos da comunicação social,Indira Correia Baldé considerou de má fé na semana passada.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: