PR: ” o momento é de união com vista ao desenvolvimento da Guiné-Bissau. “

O Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoko Embalo afirmou que o momento exige a união de todos os guineenses com vista ao desenvolvimento do país. Revelações do chefe de Estado feitas esta segunda-feira 03 de Agosto de 2020 na sua comunicação a Nação alusivo ao dia 03 de Agosto que se assinala hoje em todo o país.

Na ocasião, Embaló disse o momento não é da ” campanha eleitoral ” mas sim, de unir os filhos da Guiné-Bissau, uma vez que há um vencedor das eleições segundo os resultados anunciados pela Comissão Nacional de Eleições., ou seja, para o que tem denominado de ” concórdia nacional ” . Contudo reafirma a sua determinação na luta sem trégua contra a corrupção.

” Já terminou a campanha eleitoral e há um vencedor das eleições segundo os resultados anunciados pela CNE, isso que se diz a democracia. Por isso momento não é da campanha eleitoral, mas sim, de unir os filhos da Guiné-Bissau. Sempre disse que sou um presidente da concórdia nacional. Daí que tenho convidado todos os guineenses, mesmo aqueles que estiveram noutro lado, ou seja, independentemente das suas posições. Mas, reafirmo que a corrupção é imperdoável, a minha determinação é lutar sem trégua contra a corrupção. ” Sublinhou

Na sua comunicação a Nação o chefe de Estado desvalorizou as denúncias do Presidente do Partido Africano para Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira, que no seu ultimo directo no facebook, disse que o salário do Presidente da República esta avaliado em cerca de 100 mil dólares Americanos.

” Na história da Guiné-Bissau, não existi nenhum presidente da república que tem recebido três mil dólares americanos. Apesarque eu ficaria satisfeito se o país tivesse recursos suficientes para o ter recebido” Frisou, Sustentando que ” durante a sua vida nunca teve casa de função. ” Ao líder de PAIGC, Domingos  Simões Pereira, o Presidente da República Sissoko Embaló, convida-o a voltar ao país a fim de ” fazer oposição construtiva para o bem da Guiné-Bissau ”

A falta de Infraestruras rodoviárias durante os cerca de 50 anos da independência também não escapou o olhar do chefe de Estado. Tendo considerado o presente ano de ” zero ” em termos de realização ” devido ao impacto negativo da pandemia da Covid-19. Contudo, promete que depois da pandemia ” haverá mudanças em termos das infra-estruturas rodoviárias ao nível do país. Finalizou      

Recorde-se que 03 de Agosto de 1959, os trabalhadores de porto de Pindjiguite, em Bissau, organizaram uma greve reivindicando um aumento de salários. Marinheiros, estivadores e trabalhadores das docas, particularmente aqueles que trabalhavam para a Casa Gouveia, um monopólio comercial intermediário do grupo CUF (Companhia União Fabril) foram violentamente reprimidos por funcionários colónias, polícia e militares, e alguns civis, repressão esta que viria a resultar em 50 mortos e cerca de uma centena de feridos.

 Esta não foi a primeira greve dos funcionários do porto de Bissau, Já em 06 de Março de 1956 tinham existido confrontos entre a polícia e os trabalhadores, os quais pelos mesmos motivos, organizaram então uma greve. Nesta altura, porém, apesar de algumas detenções, a violência foi contida e os detidos acabariam por ser libertados por ordem do Governador Mello Alvim

Comentarios
estámos no facebook

cap gb o amanha começa aqui

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ligue-nos

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x