Por Mashood Djaló: POR QUE DESSA SITUAÇÃO? A QUEM NOS DEVE EXPLICAÇÃO?

Aqui lanço o meu grito de socorro sobre diferentes assuntos da preocupação pública, sobre as diferentes situações assustadoras, que acontecem no nosso País principalmente nos últimos trimestres desde julho até a data presente;

Eis a minha constatação; Desde o março de 2020 o País anúncio o seu primeiro caso de infeção a COVID-19, que é um fenómeno global que pôs muitos Estados de joelhos, mas nós aqui parece que estamos de pé, mas na verdade e na constatação dos fenómenos recorrentes dentro da sociedade, vê-se que estamos quase a deitar se para uma morte lenta eminente. ~

Foi utilizado pela primeira vez o decreto lei de estado de emergência, sem ponderar os impactos sociais e económicos junto da população, o que piorou a nossa economia e de uma forma desastrosa sofreu nossa população com violações dos seus direitos fundamentais (limitação de circulação, espancamentos e prisões arbitrarias)… por parte das nossas autoridades, que dizem estar trabalhando para salvaguardar a vida da população, o que é para mim muito contraditório, sensibilização é fator chave de obediência e mudança de comportamento do que o uso da força.

Tendo um Pais com uma população maioritária de jovens, essa faixa etária tem um papel fundamental em colaborar com as Autoridades Nacionais para executar qualquer plano que ajuda o Estado a lutar/prevenir contra qualquer tipo de situação, para benefício de todos.

E se não colaborarem serão os primeiros prejudicados da situação adversa “Sibu ka fasi nada, nada na otchau” E nós perguntamos, qual foi o comportamento dessa faixa etária desde o aparecimento do primeiro caso de COVID.19 no Pais? Eis a realidade:

Por iniciativa própria ou associativa muitos dos jovens desembolsarem ações na prevenção ao COVID-19, com limpezas nos bairros e feiras, sensibilização da sua comunidade e distribuição de produtos de higienização… por outo lado também surgiu um novo denomino designado ASSADAS! ASSADAS DESENFREADAS que tem estado a auferir resistência no seio dos jovens, feitas com princípios de bebedeiras, danças, comedorias e acima de tudo curtição (sem foco, nem benefício, ao contrário gasto irracional dos recursos que deviam ser geridas de uma forma racional nesse período de crise global e incerteza do período de volta a normalidade). FESTAS DE ANIVERSARIOS: (uma atividade que se vê com bons olhos a ser celebrada com toda normalidade, nos períodos normais da vida cotidiana) mas lembramos que estamos a viver num período da PANDEMIA!

Não vale a pena gastar mundos e montes de dinheiro para celebrar uma data especial que vai repetir em todo ano por enquanto vives. USO DE MÁSCARA E DISTANCIAMENTO SOCIAL: ( disso não vou falar muito por que, só quem estiver aqui na Guiné-Bissau, vai saber qual é a realidade que se vive, e para você que esta além do oceano, saiba que no nosso Pais não se usa máscara por medo de infeção ao COVID-19 mas, por medo da POLICIA.

E as nossas autoridades frente à prevenção do COVID alguns usam mascaras, muitos de uma forma incorreta e outros simplesmente não usam, aglomeram nos carros de patrulhas sem um minino de distanciamento, agora pergunto será que estes têm a liberdade moral de exigir o uso ou cumprimento de decreto lei de estado de emergência Aqui vai a realidade triste….

Sendo agora o meio de KONTA TCHUR (Redes Sociais), vi muitos anúncios de desaparecimento físico dos Jovens e adolescentes, que parecem morrer de uma forma súbita, sem estarem enfermes por muito tempo.

A minha preocupação consta no seguinte; • Qual é motivo dessas mortes frequentes (a maioria é jovem)? • Qual é o engajamento das autoridades competentes em relação ao Covid-19 atualmente e aos casos? De que os jovens estão a morrer? *COVID-19? * Um fenómeno novo, que ameaça a nossa geração de uma forma silenciosa e lenta?

Tudo isso podia ter uma explicação se os técnicos fizessem autopsia dos mortos: As Autoridades As entidades competentes “Governo” devem levar em conta o aparecimento de novos fenómenos, como esse de morte frequente dos jovens e adolescentes se na verdade quer cumprir com o seu papel de garante da segurança e bem-estar da sua população, ou “NOS tan” Se não cuidarmos estaremos em extinção eminente e perda do nosso maior recurso, (capital jovenil) ….

NHA MANERA DI ODJA KUSAS… BO PURDAN SIN KANBA LIMITE!

Comentarios
estámos no facebook

cap gb o amanha começa aqui

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ligue-nos

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x