PAIGC acusa o Procurador Geral da República de promover a ilegalidade e perseguição sem tréguas ao seu lider

Por: Laércia V. Insali

O Secretariado Nacional do Partido Africano para Independência da Guiné e Cabo-Verde, reagiu esta segunda-feira 26/07 /2021 sobre atos “ilícitos” dirigido ao Presidente do partido.

Durante a conferência de imprensa para reagir sobre o posicionamento do PAIGC face à impedimento da viagem de Domingos Simões Pereira, alguns líderes entre eles, António Ali, Manecas, segundo vice-presidente, Odete Costa Semedo e o terceiro vice-presidente, manifestaram suas indignações com a atitude do Procurador Geral da República, Fernando Gomes.

“Basta de atrocidade e atropelos aos direitos Humanos e liberdades fundamentais dos cidadãos Guineenses”

Numa nota pronunciada no decorrer da conferência, PAIGC considera que o atual regime está a amedrontar os cidadãos, enfatizando a “perseguição” nos últimos meses a pessoa do líder Simões Pereira, desde a tentativa de impedimento para regressar o país, com a emissão de captura de mandado Internacional, pedido de levantamento de imunidade parlamentar e recentemente do impedimento de sair do país.

Face ao exposto, refere que o Procurador Geral da República tem estado a promover ilegalidade, deitanto princípios de estado de democrático.

” o partido passa a enfrentar de forma diferente com acções contundentes e de intervencionismo para banir o Fernando Gomes ” anunciam

Posto isto, apelam a demissão do Procurador das funções, e caso contrário adverte continuar com marchas e manifestações.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: