Movimento Ba-fatá pondera entrar com uma queixa-crime contra o deputado do MADEM-G15

Por: Ussumane Baldé

A Comissão Permanente da Resistência da Guiné-Bissau/ Movimento “Ba-fatá” (RGB/MB) deu 72 horas ao alto dirigente do Movimento para Alternância Democrática MADEM-G15 e deputado da nação José Carlos Macedo a apresentar provas das suas acusações proferidas na última reunião do conselho nacional do seu movimento sob pena de o partido apresentar uma queixa por falsas acusações e calunias junto as instâncias judiciais.

A posição do partido foi tornada pública esta segunda-feira, 09-08-2021, em conferência de imprensa realizada na sede do partido em Bissau através do comunicado da comissão permanente do partido lida na voz do seu presidente Fernando Mendes que na ocasião considerou de falsas calúnias e insultuosos declarações preferida por José Carlos Macedo.

De acordo com, Fernando Mendes, no passado dia 03 de agosto corrente durante a reunião do conselho nacional do MADEM-G15, José Carlos Macedo tinha denunciado que, viu uma delegação da RGB/MB composto por nove (09) viaturas a seguirem para o interior do país para trabalhos de implantação das estruturas e, que o Movimento Ba-fatá não dispõe de meios próprios para a aquisição de tais viaturas, garantindo que as mesmas só podem ter sido ofertado pelo presidente da república Umaro Sissoco Embaló.

Perante a situação, a resistência da Guiné-Bissau/ Movimento Ba-fatá, repudia com veemência segundo as quais considera de falsas e caluniosas que requer a apresentação das provas por parte do deputado da nação José Carlos Macedo.

Por outro lado, a resistência movimento Ba-fatá incita o partido MADEM-G15, a prestarem declarações públicas de distanciamento das declarações proferidas pelo seu dirigente durante a reunião para salvaguardar a boas relações políticas e de amizade de dois dirigentes.

O partido tranquiliza os seus militantes e a sociedade guineense em geral de que, a sua postura política não é compatível com as práticas de maledicência, calúnias, invenções irreais e intrigas, mas sim pela união no seio dos guineenses com a criação de alternativas que resgatem a imagem do país dignificando a pessoa humana e lutar pela paz, progresso, liberdade e desenvolvimento económico e social da Guiné-Bissau.

Por fim, movimento Ba-fatá convida todos guineenses a colocarem soberania em primeiro plano e unir As sinergias ao serviço da Nação, dispensando todas as práticas que têm dividido os guineenses.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: