Mali: General Moussa Diawara detido em ligação com o caso Birama Touré

No Mali, o General Moussa Diawara foi detido na quinta-feira 29 de Julho e colocado em detenção em Bamako. Segundo fontes judiciais, foi acusado em ligação com a investigação sobre o desaparecimento da jornalista Birama Touré, que não é vista desde Janeiro de 2016.

Também visa Karim Keïta, o filho do ex-presidente Ibrahim Boubacar Keïta. Um antigo chefe de pessoal da Guarda Nacional, o General Moussa Diawara foi o chefe dos serviços de inteligência do Mali durante toda a era IBK, desde a sua eleição para a presidência em 2013 até à sua expulsão num golpe de Estado em Agosto passado.

Foi preso e acusado, entre outras coisas, de cumplicidade no rapto, sequestro, tortura e associação criminosa.

No entanto, os testemunhos recolhidos pelo antigo empregador de Birama Touré, o director da Esfinge, Adama Dramé, actualmente refugiado em França, implicam os serviços malianos. De acordo com estes testemunhos, recolhidos de um soldado e antigo co-detido de Birama Touré, o jornalista foi encarcerado numa prisão secreta da Segurança do Estado, fora de qualquer quadro legal, torturado e depois morto.

Doador de encomendas É provavelmente sobre estas alegações que o sistema de justiça maliano deseja ouvir o antigo director dos serviços malianos. Tal como quer ouvir Karim Keïta: o filho do antigo presidente, apresentado como mandante, tem sido objecto de um mandado de captura internacional desde o início do mês.

Após o golpe que derrubou o seu pai, cujos serviços de inteligência foram chefiados pelo General Moussa Diawara durante sete anos, ele fugiu para a Costa do Marfim, onde permanece até hoje.

Discreto por causa da sua profissão, o General Moussa Diawara tinha no entanto dado a conhecer sua luxuosa residencia aos malianos em Março de 2019, quando os vídeos do seu pródigo aniversário tinham circulado nas redes sociais. Pelo seu 50º aniversário, o homem que ainda estava encarregado da segurança do Estado ofereceu-se os serviços da estrela congolesa Fally Ipupa, antes de receber um 4×4 como presente, diante dos olhos dos oficiais políticos e militares convidados para a sua villa. No Mali, o General Moussa Diawara foi detido na quinta-feira e colocado em detenção em Bamako. Segundo fontes judiciais, foi acusado de cumplicidade no rapto, sequestro, tortura e associação criminosa, como parte da investigação sobre o desaparecimento da jornalista Birama Touré, que não é vista desde Janeiro de 2016.

Com RFI

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: