Liga Guineense dos Direitos Humanos dirige carta aberta a Nações Unidas, União Africana e Comissão Europeia

Por: Laércia Valeriana Insali

Liga Guineense dos Direitos Humanos enviou esta quinta-feira 10/02/2022, uma carta aberta ao Secretario Geral das Nações Unidas, António Guterres, Presidente da União Africana, Macky Sall, e Presidente da Comissão Europeia, Úrsula Von Der Leyen, face a situação atual da Guiné-Bissau.

Conforme o documento na posse da CAP-GB, a LGDH afirma que o Estado de Direito nunca foi ameaçada quanto agora, considerando toda situação vigente resultado das tendências do atual regime.

Para Liga, os Direitos Humanos é ensombrado por um clima de insegurança desde o ocorrido do dia 01 de Fevereiro no Palácio de Governo, que provocou vários mortes.

“ Ao invés das autoridades levaram uma investigação seria, pautaram-se pela instalação de um clima de terror que deteriorou a situação dos Direitos Humanos que provocou ataque e destruição a Radio Capital que resultou em sete jornalistas feridos, e não só, raptos e detenção de maia de 60 cidadãos a margem da lei, aos quais são privados acesso aos advogados e visita familiar, invasão ilegal e sem mandado de busca acompanhado de disparos a casa do cidadão e comentador Politico da Radio Capital, Rui Landim, perseguições, intimidações e ameaças de mortes aos ativistas, dirigentes da LGDH, organizações da Sociedade Civil, jornalistas e comentadores políticos” sublinhou LGDH na nota

Engajados na promoção de estabilidade, segurança e respeito a Direitos Humanos, a Liga dos Direitos Humanos insta a Nações Unidas, União Africana e Comissão Europeia a interpelar as autoridades nacionais a cessarem mais rápido possível a onda de tenções, intimidações e ameaças contra cidadãos, influenciar a criação de uma comissão de investigação independente com vista a esclarecer circunstancias do ataque “ mortífero” a palácio do governo.

Por outro lado, exigir as autoridades cumprimento das suas obrigações internacionais no domínio dos Direitos Humanos, apelar as autoridades a cessão imediata doa atos violentos contra opositores políticos e por ultimo, contribuir para responsabilização criminal dos autores morais e materiais dos ataques ao Sede de Governo, Radio Capital e residência do cidadão Rui Landim, assim como reforçar mecanismos de acompanhamento da situação dos Direitos Humanos no país.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: