Lideres da sociedade civil defendem inclusão da organização no processo eleitoral

Mande nos email : capgbsarl@gmail.com

Por: Ussumane Baldé

A voz da sociedade civil pública lança relatório das eleições legislativas e presidências 2019,na manhã desta quinta-feira 16-12-2021,num dos hotéis de capital Bissau.

Célula da monotorização eleitoral, constituída por cinco iniciativas congregadoras de uma rede de organizações da sociedade civil com uma reconhecida experiência nos domínios do trabalho de “Educação para a Cidadania” nomeadamente,nas áreas do gênero, Dereitos humanos e inclusividade conservação segurança alimentar,domocracia paz e segurança.

Com isso pretende desenvolver junto dos decisores para observação eleitoral doméstica e eleições inclusivas conforme explica o representante da casa da mulher,Elisa Tavares Pinto.

“Esperamos com este relatório apresentada a sociedade civil ser feramenta de uso importante nas observações dos processos eleitorais no país” e reforçou que os deputados da nação alteraram a lei eleitoral que não inclui a sociedade civil na tomada das decisões sobre processos eleitorais”, é urgente que os deputados mudem a lei eleitoral para que sociedade civil possa contribuir”,alertou Elisa

Por outro lado,o secretário executivo da comissão nacional das eleições”CNE”,Idrissa Djaló,falou que a sua instituição tem reconhecido o papel da sociedade civil no que concerne o acompanhamento nos processos eleitorais do país e garantiu que estão trabalhar no sentido que a sociedade civil possa contribuir diretamente nos processos eleitorais.

“Em 2015 propomos aos deputados da nação a revisão da lei eleitoral para que sociedade civil possa contribuir também,mas infelizmente pedido não sofreu nenhum efeito”, Lameta Djalo

Lembrando que em todos os países do mundo as sociedades civis estão ligados diretamente nos processos eleitorais “não podemos ser deferentes com outros países face a participação da sociedade civil nos processos eleitorais e vamos trabalhar para que tal aconteça”, alertou.

A coordenadora da rede da África ocidental para a construção da paz “WANEP”,Denisia dos Santos, sublinhando que vão dar segmento sobre falado lei doméstica no processo eleitoral face a participação da sociedade civil, e revelou que sociedade civil está preparada para contribuir nos processos eleitorais “vamos dar seguimento sobre essa lei que não nos permite participar na acompanhamento dos processos eleitorais e necessário altera-la”

É de recordar que o objetivo das cinco iniciativas visa contribuir para que as organizações da sociedade civil façam o acompanhamento do processo eleitoral,com vista a influenciar a transparência e credibilidade do processo, aumentando a participação cívica dos cidadãos na consolidação da democracia e na promoção do desenvolvimento da Guiné-Bissau.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: