Junção de vacinas da AstraZeneca e Pfizer potencia imunidade

Segundo um estudo publicado na revista científica The Lancet, os novos dados provenientes do ensaio clínico CombivacS acerca da possibilidade de combinar as duas vacinas – nomeadamente de administrar uma dose do imunizante da AstraZeneca e uma segunda da Pfizer – revelam que a toma de ambas incita uma resposta mais potente e eficaz do sistema imunitário, resultante da produção mais elevada de anticorpos.

De acordo com um comunicado de imprensa divulgado pelo Instituto de Saúde Carlos III, do Ministério da Ciência e da Inovação, em Espanha, o organismo reage a ambas as vacinas com duas formas de defesa. Primeiro gera a chamada imunidade humoral, que consiste na geração de anticorpos por células imunes denominadas linfócitos B, que bloqueiam o vírus antes da infeção se manifestar. Depois, produz imunidade celular, que ocorre graças à ativação de linfócitos T, outro tipo de células imunes capazes de destruir as células já infetadas.

Mais concretamente, os dados do CombivaC apontam que a vacinação com uma dose da AstraZeneca e uma segunda da Pfizer aumenta em até quatro vezes a produção da proteína interferão-gama que ajuda a dar resposta imune celular. A produção de anticorpos é o principal objetivo das vacinas, porém conferir imunidade celular é extremamente importante de modo a reforçar a resposta imunitária e melhorar a proteção do corpo frente ao novo coronavírus SARS-CoV-2, sublinha o Instituto.

Com Notícias ao Minuto

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: