Guiné-Bissau inicia campanha de comercialização da castanha de cajú.

O executivo guineense procedeu esta quarta-feira, 07 de 2021, abertura oficial da campanha de comercialização da castanha de cajú, 2021 o principal produto de exportação do país sob presidência do primeiro-ministro Nuno Gomes Nabiam.

O acto decorreu no Palácio do governo na presença de membros do governo, deputados, corpos diplomáticos acreditados no país assim como diferente organizações que atuam na fileira de cajú.

Na sua intervenção, primeiro-ministro Nuno Gomes Nabiam disse que, o executivo elaborou pela primeira vez cimo pacotes de leis específicas para o sector do cajú.

Trata-se da lei de comercialização interna da castanha de cajú, profissão de intermediários, comercialização externa de cajú, profissão de exportadores e a industrialização da castanha e seus derivados.

Nabiam precisou que o governo através do ministério de comércio, vai reduzir barreiras tarifárias relacionadas com a campanha e a autenticação dos documentos necessários para a obtenção de licenças de comercialização e de exportação.

O chefe do governo manifesta a sua firmeza no que diz a “obrigação” da utilização de sacos de juta com timbre Made-in-Guiné-Bissau para a identificação da origem do produto, e apela todos os intervenientes na fileira de cajú a observação das medidas sanitária para conter a propagação da doença causada pelo novo coronavírus.

Por sua vez o Ministro do Comércio e Indústria Artur Sanhá considera abertura oficial da comercialização e exportação da castanha de cajú como acto simbólico.

Artur Sanhá (Ministro de Comércio)

“Este ano a campanha de comercialização será diferente de todas, com a criação do dispositivo de ordem e ‘tipifica’ os postos e taxas referente a campanha envolvendo assim em debate todos intervenientes que culminou com a fixação do preço mínimo de 360 franco CFA por quilograma junto ao produtor”.

O governante esclarece que o preço mínimo de 360 por quilograma não é o preço da referência.

Presente no ato as quatros organizações da fileira de cajú, Associação Nacional dos Agricultores da Guiné-Bissau (ANAG), Câmara de Comércio Indústria Agricultura e Serviços (CCIAS), Associação Nacional de Importadores e Exportadores da Guiné-Bissau e dos Intermediários, congratularam com o governo de forma procedeu à abertura oficial do presente campanha de comercialização e exportação da castanha de cajú.

O governo aprovou através do comunicado de Conselho de ministros do dia 01 de abril deste ano, o preço mínimo de referente ao produtor de 360 francos CFA por quilograma de castanha de cajú.

Comentarios
estámos no facebook

cap gb o amanha começa aqui

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante:

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x