Guiné-Bissau: INAUGURADO NOVO CENTRO DE FORMAÇÃO DE JORNALISMO E MULTIMÉDIA.

O Consórcio Média, Inovação da Comunicação Social (CMICS) em parceria com a Escola de Artes e Ofícios (EAO) de Quelele que pertence a Ong Ação para o Desenvolvimento (AD), inaugura e lança oficialmente esta terça-feira 06 de Outubro de 2020 um novo centro multimédia, cuja instalação, vai servir de quartel-general de formação do curso profissional de comunicação social, em Bissau.  

Nesta primeira fase, o curso conta com 33 formandos, dos quais 15 raparigas e 18 rapazes com 12º ano de escolaridade que querem exercer a profissão de jornalista e profissionais de jornalismo que actuam no activo nas diferentes órgãos de comunicação social e terá uma carga horária de 1695 distribuídas em dois anos com 31 módulos teórico e práticos combinados com estágio científico nos diferentes órgãos de comunicação social guineense.

Ao presidir a cerimónia de abertura Mamadu Sano em representação do Secretário de Estado de Comunicação Social, reconheceu que apesar de ser relegado para o último plano a comunicação é ” muito importante no processo de estabilização e consolidação da paz.” Aconselhando aos formandos a ter em conta o aspecto ” ético ” na sua actividade profissional.

Presente no ato, Fátima Tchuma Camará em representação do Consórcio Média, Inovação da Comunicação Social (CMICS), sublinhou que curdo oferece conjunto de módulos teóricos baseados essencialmente no componente ” humanística ” que o profissional necessita para fazer face as dinâmicas e os desafios da sociedade em que exerce a sua atividade profissional.

O aspecto ético, de acordo com Tchuma Camará será também um dos aspectos a ter em conta durante a formação, uma vez que segundo ela, a ética é “extremamente importante ” no exercício de qualquer profissão.  

Para o director de Escola Arte e Ofícios (EAO), Jorge Andem, o referido curso visa adotar os profissionais e jovens que pretendem fazer o jornalismo com um conjunto de competência essenciais para o exercício das suas funções com isenção e espírito de independência.

O centro hoje inaugurado no barro de Quelele, em Bissau graças ao financiamento do Fundo das Nações Unidas, através do fundo de Consolidação da Paz (PBF) orçado num valor de 800 mil dólares americanos e cuja execução terminou em Junho do ano em curso é equipado com estúdios de Rádio, TV e Imprensa Escrita.

Entretanto, Júlia Alinho, em representação do Fundo das Nações Unidas para Consolidação da Paz UNIOGBIS organização financiadora, defendeu ” só com o sector dos média independente e ético é que podemos ter uma democracia saudável, paz e estabilidade, uma vez que, os média ” são intermediários entre os cidadãos e o Estado. ”   

Saliente-se que o Consórcio Média, Inovação da Comunicação Social (CMICS), é uma associação sem fins lucrativos, com autonomia jurídica, administrativa e financeira criado em 2018, pelas diferentes organizações ligadas aos media na Guiné-Bissau, – Sindicato de Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social (SINJOTECS), Ordem de Jornalistas (OJ), Rede Nacional de Rádios e TVs Comunitárias da Guiné-Bissau (RENARC), Associação de Mulheres Profiisionais de Comunicação Social (AMPROCS) e ONG Ação para o Desenvolvimento (AD) – com o apoio das Nações Unidas, através do fundo de consolidação da paz (PBF).

Comentarios
estámos no facebook

cap gb o amanha começa aqui

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ligue-nos

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x