Grupo de Trabalho das Mulheres, Juventude para a paz e Segurança na Guine-Bissau elege seus corpos sociais

Por:Epifania Correia Gomes

Foi realizada esta segunda-feira em Bissau 22.11.2021 pela primeira vez na Guine-Bissau assembleia geral do grupo de trabalho das mulheres, Juventude para  a paz e segurança na Guine-Bissau, que tem como lema, advocacia para a igualdade dos direitos no contexto político e social guineense desafios e perspetivas.
 
 Na abertura dos trabalhos a coordenadora do grupo de trabalho, mulheres jovem, paz e segurança na Guine-Bissau Denise do Santos Ndequi    disse que a temática do género, mulher, Juventude, paz e segurança está no centro, entre o desenvolvimento sustentável e a paz duradoura atendendo aos efeitos recíprocos das políticas de promoção do desenvolvimento e de prevenção, construção da paz.
 
“ Esta primeira assembleia é mais para eleição dos órgãos socias, porque a organização foi criada desde 2914 e na altura só tem ponto focal e isso influenciou na perda de pontuação a nível da sub-região para isso tem toda necessidade de fazermos a primeira assembleia geral com propósito dar mais dinamismo à trabalhos de mulheres e jovens na Guine-Bissau” Disse.
 
 
Ainda   do Santos deseja que presente assembleia geral seja o início de uma nova dinâmica do grupo de trabalho das mulheres Juventude paz e segurança no país, um espaço de aprofundamento do conhecimento sobre as resoluções 1325, 2250 e de consciencialização da importância da adoção de um instrumento nacional na matéria, de modo a criar as condições necessárias ao nível de recursos humanos, materias, financeiros, de gestão e de acompanhamento do processo.

Ainda a coordenadora assegura que os desafios a alcançar, o percurso de Guiné-Bissau no que se refere a igualdade e equidade de género, tem tido a fraca representativa nas últimas décadas em todas esferas, e não há motivos para se continuar a ignorar os contributos indispensáveis das mulheres e jovens nos processos de resolução de conflitos e manutenção da paz, quando são eles os mais afetados e assegurando que não será possível equacionar e encontrar soluções  para os complexos problemas de paz e estabilidade em África, em particular no CEDEAO e em especial na Guiné-Bissau sem o envolvimento das mulheres e de jovens.
 
De lembrar que a referida organização  tem como objectivos de dar mais visibilidade os trabalhos das mulheres no que tem haver com a paz e segurança e trabalhar na implementação da resolução 1325 que fala sobre mulher paz e segurança é resolução 2250que fala sobre Juventude na promoção da paz e segurança.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: