Governo considera de urgente a promoção dos direitos fundamentais da mulher guinnense

Por: Ussumane baldé

O executivo através do ministério da mulher,família e coesão social junto ao UNFPA, organiza num dos hotéis de Bissau, reunião do grupo de consulta com parceiros técnicos e financeiros do setor de gênero e proteção social da mulher guinnense.

Dando por aberto a reunião que vai decorrer durante o dia,o diretor geral do ministério referido em representação da ministra, sublinhou que a instituição que pertence esta a produzir conjunto de leis novas para a proteção social a mulher e rapariga guinnense assim que o país volta a normalidade.

“O ministério está com foco na proteção da vida das mulheres e raparigas guinnenses face as sucessivas violências sofridas”.

Lúcio Rudrigues, enaltece que os problemas tradicionais herdadas sobretudo nas aldeias faz com que as raparigas abandonem processo estudantíl e consequentemente caindo em casamentos forçados, sendo fatores que devem ser combatidos o mais rápido possível.

“Maioria dos problemas que enfrentam as meninas são sobretudo costumes tradicionais que no fundo nem têm fundamentos, por isso vamos trabalhar nisso e superar o flagêlo”.

Em representação do fundo das nações unidas para a população (UNFPA), Athanase Nzokirishaka, disse que, a saída da ONU mulher no país desde 2019 criou um vácuo de coordenação e o elo vital entre a organização das nações unidas e as autoridades do país,por isso apela a colaboração de todos país inverter o pirâmide.

“Houve um vácuo de coordenação desde que a ONU mulher abandonou o país facto que deve ser restabelecido e trabalhar no máximo para mudança de mentalidade”.afiançou

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: