Fundação Catarina Taborda oferece equipamentos de Treinos a Centro prisional de Badim

Catarina Taborda entregando os equipamentos.

Por: Epifania Correia Gomes

No ato da entrega de donativos hoje 05.10.2021 por parte da fundação á Centro de detenção de Bandim a filantropa Catarina Taborda  disse que a sua fundação esta a organizar Mês de Outubro Rosa que é um projeto que se desenvolve anualmente para sensibilização sobre Cancro da Mama e assegura que a sua instituição ja identificou algumas Mulheres.
 
“Nós escolhemos as nossas irmãs prisoneiras para entrega de fatos de treinos e 135 pares de meias , mas sobretudo para fazer a sensibilização da existência de Cancro da mama, e a fundação vai mostrar que está disponível para ajudar na reintegração destas mulheres depois de cumprirem as suas penas, e acreditamos que cada Mulher merece um futuro melhor e uma segunda oportunidade, acreditamos na restauração do ser humano e não há crime que alguém comete que merece tratar de um ser esquecido e como sabemos  que em todo mundo em cada 10 mulheres 3 são diagnosticada com cancro de mama” diz Taborda.
 

Ainda  Catarina promete que no decorrer do Mês de Outubro a sua fundação vai desenvolver diferentes atividades das quais visita a Maternidade do HNS, Marcha Rosa encontro de futebol entre  seleção Nacional de futebol com as Mulheres Albinas.


 
Para o chefe principal de Guardas Prisionais do Centro de Bandim Demba Só disse estar agradecido com a fundação Catarina Taborda no quadro da sensibilização da existência de cancro da mama e que considera de exemplar e nobre e apela todas entidades  que trabalham na área social  que pensassem no serviço prisional sobretudo nos prisoneiros, apesar de serem pessoas que estão em conflitos com a lei, mas também que precisam de apoio da sociedade para se reintegrar.
 
Por sua vez Medica Clinico Geral Julieta Cristovalina da Silva  disse que não existe dados concretos sobre a situação de cancro da mama na Guiné-Bissau porque para ela “não há estudo cientifico que é feita especificamente para área de cancro de mama, mas sim  um numero que as pessoas não dão de conta, isso tudo porque as mulheres não estão sensibilizados a fazer autoexame da mama para poder descobrir preciosamente o algo entro da mama“, disse a tecnica.
 
Ainda a Medica guineense afirma que o cancro da mama está a ser descoberta de uma forma tarde segundo ela quando é assim o tratamento o também as vezes não será suficiente e a pessoa acaba por morrer, quanto mais cedo descobrir mais rápido será tratada.                
            
 
 

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: