Emigração Clandestina: UNTG quer ser parte na busca de soluções

Por: Ussumane Baldé

Bissau, 18/01/2023, União Nacional dos Trabalhadores guineense “UNTG”, reuniu hoje com a Representação da EU no país com o objetivo de colaborar nos trabalhos de registro dos emigrantes residentes na Guiné-Bissa.

Após o encontro mantido a porta fechada, o Secretário Geral do maior Sindical do país, disse que o objetivo da reunião foi no âmbito de contatos com as organizações Internacionais Sediados no país nomeadamente, União Africana e União Europeia no sentido de conhecer de perto as estratégias elaboradas no combate do fenómeno de Emigração, sobretudo clandestina, que tem causado mortes dos jovens Africanos em busca da melhor sobrevivência.

“O objetivo do encontro é de saber de perto como a União Europeia lida com as estratégias na luta contra Emigração Clandestina, e como sabem a UNTG foi admitida, membro da rede de Sindicato da África de Migração situada em “ kigali”, por isso começamos fazer o trabalho para identificar e ajudar todos os emigrantes que se encontram no país e achamos por bem de que com as participações da EU e UA vai ser muito importante e estes mostraram disponibilidade”, explicou.

De lembrar que na semana passada, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores Guineenses reuniu com a União Africana com o mesmo objetivo.

Na outra perspetiva, Júlio Mendonça, falou da notificação recebida da Direção Geral de Trabalho, através do Ministério da Função Pública para um encontro com propósito de analisar aspeto laboral para nova grelha salarial na função pública, fato que considera de “Brincadeira de mau gosto”, e garantiu que a instituição que lidera nenhum momento participará na discussão do assunto uma vez elaborado de forma cabal que agora só falta seu cumprimento.

“Parece-me que o Executivo está a querer gozar, com paciência dos trabalhadores, discutir o quê” questionou o sindicalista, que apontando que o parlamento está sem funcionamento, “Em 2020 tínhamos assinado um memorando de entendimento para em conjunto estudar o mercado para definir o salário mínimo na função pública mas, pela ignorância, não mostraram interesse e agora, se querem mudanças na grelha salarial é só cumprir o que está no caderno reivindicativo de 2021”, exprimiu Mendonça.

Ainda, o Sindicalista sensibiliza todos os funcionários da função pública de recensear para que nas próximas eleições legislativas exerçam os direitos de voto enquanto cidadãos, por outro lado, sublinhou que o sindicato vai implementar novo código de trabalho transversal para o Estado e outras entidades privadas que operam no país.

A respeito da polémica em torno da sua reeleição, Mendonça disse que não tem nenhum documento que invalida a sua reeleição como secretário geral do sindicato e promete lidar somente com as organizações que têm interesse em defender os trabalhadores caso contrário não têm espaço.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: