Economia: Mangas da Guiné-Bissau em estudo para sua transformação local

Desenvolvimento das infraestruturas de qualidade é prioridade do projeto a afirmação é do diretor geral da indústria Suleimane Djalo em representação do ministro de comercio Artur sanhá hoje em Bissau 24.11.2020 na sede de Unogbis durante abertura da formação no domínio do controlo da qualidade, do projeto denominado melhoria da potencialidade da fileira da manga da Guiné-Bissau, produção, transformação local e apoio a exportação.

Para Diretor a Guiné-Bissau precisa-se de valorizar os seus produtos, devemos ter pessoas de qualidade na inspeção que alinhem com os métodos internacionais, temos que começar a produzir com as normas desde a escolha dos sementes até a exportação frisou o responsável.

Por outro lado o coordenador do projeto Nelson Constantino Lopes disse que o projeto é ambicioso para apoiar na melhoria e organização da cadeia de manga na Guiné-Bissau.

De acordo com os últimos dados disponíveis a Guiné Bissau produz anualmente cerca de trinta e cinco mil toneladas de mangas, mas dos trinta e cinco mil toneladas quase setenta por cento acaba por estragar, portanto é necessário encontrar mecanismos para se conseguir amelhorar a fileira através da implementação de politicas que dão a resposta aos problemas que afetam as fileiras da manga.

Ainda o responsável afirma que existe problemas desde a produção, a forma da colheita da manga e até a forma como é tratada, por ultimo disse que o projeto tem componente de transformação local que para ele é possível apostar seriamente na transformação local da manga através de processamento local.

E Nessa primeira fase o projeto esta identificado para trabalhar nas três regiões Cacheu, Oio e Bafatá com base nisso é possível implementar as pequenas unidades de transformação nessa regiões que possam permitir o aproveitamento de manga mesmo que não se consegue exportar uma qualidade elevada mas que aproveita a manga imatura para produzir salada de manga que possa ir o encontro dos cidadãos comuns, e projeto tema preocupação de fazer a sinergia com as outras fileiras na Guiné Bissau nomeadamente Cajú e pesca.

De salientar que o projeto tem a duração de três anos e Dez meses que conta com o financiamento da união Europeia e é implementado pela organização das Nações unidas para o desenvolvimento industrial (ONUDI) a formação terá duração de dois dias e é destinados para os técnicos de laboratórios e instituição de estação.

Comentarios
estámos no facebook

cap gb o amanha começa aqui

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ligue-nos

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x