Domingos Simões Pereira “a Guiné-Bissau pode-se tornar num não-Estado”

Por: Martinho Mendes

O líder do PAIGC afirmou, que existem pessoas que querem instalar a anarquia e o caos na Guiné-Bissau, referindo temer que o país se torne num não-Estado.

O chefe de Estado afirmou que, mesmo em caso de vitória do PAIGC nas legislativas, não vai nomear Domingos Simões Pereira como primeiro-ministro a quando visitava hospital nacional Simão Mendes.

Sissoco Embaló, considerou impossível uma coabitação entre ele e Domingos Simões Pereira porque aquele não o reconhece como Presidente da Guiné-Bissau.

O presidente do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde falava esta quinta-feira, 20-01-2022, numa entrevista ao Blogue Ditadura de Consenso, consultada pela CAP-GB, na qual considerou as declarações do Presidente Umaro Sissoco Embaló como sendo uma tentativa de distração ao PAIGC, frisando que, neste momento, o partido está embalado rumo ao seu décimo congresso, marcado para Fevereiro deste ano.

Domingos Simões Pereira defendeu que nada poderá impedir o PAIGC de assumir as suas responsabilidades perante o povo da Guiné-Bissau e o mesmo não se vai deixar enredar naquilo que considera de “cenas de teatro”.

Também disse que há pessoas na Guiné-Bissau que querem instalar a anarquia e o caos, para que o país entre numa situação de um não-Estado afirmando que todas as declarações sobre a sua pessoa não passam de uma “tentativa de afugentar fantasmas pessoais” contudo disse não estar preocupado com nada e reiterou que o único propósito que o move é a verdade.

Conclui que o Comité Central do PAIGC deve reunir-se hoje e prevê-se que as declarações do Presidente Umaro Sissoco Embaló sejam analisadas.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: