Covid-19 (AstraZeneca): Os ensaios não atingiu o objectivo principal de prevenir casos sintomáticos

Novo contratempo para a AstraZeneca. O grupo farmacêutico anglo-sueco anunciou na terça-feira que o tratamento contra o coronavírus que está actualmente a desenvolver não provou a sua eficácia em pessoas expostas ao vírus.

“O ensaio não atingiu o objectivo principal de prevenir casos sintomáticos de Covid-19 após exposição” ao vírus, disse AstraZeneca numa declaração.

A terapia de anticorpos, codinome AZD7442, destinava-se tanto a prevenir como a tratar a doença. Estava na fase 3 de desenvolvimento, ou ensaios clínicos em grande escala para medir a sua segurança e eficácia.

Os 1121 participantes eram adultos com mais de 18 anos que não foram vacinados e tinham sido expostos a uma pessoa infectada nos oito dias anteriores. O tratamento reduziu o risco de desenvolvimento da Covid-19 sintomática em apenas 33%. Os ensaios continuam a avaliar o remédio em doentes antes da exposição ao vírus, e para aqueles que desenvolveram formas graves.

O desenvolvimento deste tratamento está a ser financiado pelo governo dos EUA, que por sua vez fez acordos com a AstraZeneca para receber até 700.000 doses este ano. No total, o valor dos acordos com os Estados Unidos para o desenvolvimento do tratamento e das doses em 2021 atinge 726 milhões de dólares. O grupo farmacêutico anglo-sueco anunciou esta terça-feira que o tratamento contra o coronavírus que está actualmente a desenvolver não provou a sua eficácia em pessoas expostas ao vírus.

“O ensaio não atingiu o objectivo principal de prevenir casos sintomáticos de Covid-19 após exposição” ao vírus, disse AstraZeneca numa declaração.

A terapia de anticorpos, codinome AZD7442, destinava-se tanto a prevenir como a tratar a doença. Estava na fase 3 de desenvolvimento, ou ensaios clínicos em grande escala para medir a sua segurança e eficácia.

Os 1121 participantes eram adultos com mais de 18 anos que não foram vacinados e tinham sido expostos a uma pessoa infectada nos oito dias anteriores. O tratamento reduziu o risco de desenvolvimento da Covid-19 sintomática em apenas 33%. Os ensaios continuam a avaliar o remédio em doentes antes da exposição ao vírus, e para aqueles que desenvolveram formas graves.

O desenvolvimento deste tratamento está a ser financiado pelo governo dos EUA, que por sua vez fez acordos com a AstraZeneca para receber até 700.000 doses este ano. No total, o valor dos acordos com os Estados Unidos para o desenvolvimento do tratamento e das doses em 2021 atinge 726 milhões de dólares. O grupo farmacêutico anglo-sueco anunciou esta terça-feira que o tratamento contra o coronavírus que está actualmente a desenvolver não provou a sua eficácia em pessoas expostas ao vírus.

“O ensaio não atingiu o objectivo principal de prevenir casos sintomáticos de Covid-19 após exposição” ao vírus, disse AstraZeneca numa declaração.

A terapia de anticorpos, codinome AZD7442, destinava-se tanto a prevenir como a tratar a doença. Estava na fase 3 de desenvolvimento, ou ensaios clínicos em grande escala para medir a sua segurança e eficácia.

Os 1121 participantes eram adultos com mais de 18 anos que não foram vacinados e tinham sido expostos a uma pessoa infectada nos oito dias anteriores. O tratamento reduziu o risco de desenvolvimento da Covid-19 sintomática em apenas 33%. Os ensaios continuam a avaliar o remédio em doentes antes da exposição ao vírus, e para aqueles que desenvolveram formas graves.

O desenvolvimento deste tratamento está a ser financiado pelo governo dos EUA, que por sua vez fez acordos com a AstraZeneca para receber até 700.000 doses este ano. No total, o valor dos acordos com os Estados Unidos para o desenvolvimento do tratamento e das doses em 2021 atinge 726 milhões de dólares.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: