Correios de Bissau: Sindicato relata perda de Bilhões devido falta de “operação”

Por: Laércia Valeriana Insali

O Sindicato dos trabalhadores dos Correios de Bissa (SITRA-Correios), realizou esta quinta-feira 02/02/2023 conferência de imprensa para tornar ao público sua posição face ao posicionamento do Ministro dos Transportes e Telecomunicações e as consequências que o Estado enfrenta com o abandono dos serviços de Correios.

Consequências resultantes do abandono dos serviços de Correios Presidente do Sindicato, Tefna Tambá, afirmou que o Correio tem serviços que dão maior segurança ao Estado, porque controla tudo que sai e entra no país pelas diferentes vias.

“ Maior segurança do país é o Correio uma vez que controla tudo que entra e sai, mas agora, com o abandono dos serviços não há controlo nem segurança, sobretudo no Aeroporto onde as cargas vão de forma descontroladas e os pacotes desorganizados.

Segundo Tefna, com a banalização dos serviços feitos antes pelos Correios que agora passam a ser pelas agências privadas, o Estado da Guiné-Bissau perde Bilhões.

Por sua vez, falou das agências incontroláveis e dos prejuízos que pode trazer para imagem do país porque muitas pessoas transportam objetos desnecessários para Avião ou outros meios, no entanto, alegou que a empresa do Estado está a ser morto em detrimento das empresas privadas.

“Funcionários sentem-se menosprezados pelo Estado Guineenses”

Tefna Tambá, exige do Ministro dos Transportes e Telecomunicações assinatura da carta do conforto, e caso contrário, que continue com o pagamento das subvenções que há 12 meses não recebiam.

“ Que encontre mecanismos junto do Ministro das Finanças em resolver esta situação, porque alguns deles já falecidos e outras sem sustento”, acrescentou.

SITRA- Correios exortou a demissão do Ministro dos Transportes, apelando ao Presidente da República e Primeiro-Ministro soluções “urgentes” para nomeação de um novo Ministro sendo uma área de grande investimento.

“Este Ministro não nos representa, estamos a sentir sacrificados” lamentou Tefna

De ressaltar que o total dos funcionários em causa são 276, na qual 96 faleceram e agora restam 76 que estão sobrevivendo com as verbas noutro setor, alguns reformados e outros sem algo para sobrevivência.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: