China vai reparar edifício da ANP

POR: Martinho Mendes

Governo da República Popular da China, vai reparar o edifício da Assembleia Nacional Popular, que começa desde escritórios e, vai terminar nos elevadores estes que não funciona a muitos anos devido avaria.

O anuncio feita esta segunda-feira, 28-06-2021, pelo embaixador da China na Guiné-Bissau a saída da ausência com o presidente da Assembleia Nacional Popular Cipriano Cassamá.

Guo Ce disse que, falou com o presidente do hemiciclo guineense sobre a implantação do projecto de reabilitação da ANP, assim como a relação de cooperação entre os dois países.

O diplomata chinês, promete apoiar incondicional a assembleia nacional popular no domínio das cooperação internacional.

Os técnicos chineses vão encarregar da obra de reabilitação da sede de assembleia nacional popular que terá o início no próximo ano, com a duração de 18 meses.

Para memória, com a proclamação da Independência e a entrada do PAIGC na cidade de Bissau, a Assembleia Nacional Popular começou a funcionar junto do Palácio da República e as sessões plenárias eram realizadas no Salão III Congresso. Após o desmoronamento do referido salão, as reuniões plenárias passaram a ser realizadas no Salão da Base Área de Bissalanca ou no Salão Nobre “Amilcar Cabral” do Secretariado do Comité Central do PAIGC.

Onde Funcionava

Em 1987 a Assembleia Nacional Popular conseguiu funcionar num edifício autónomo, dantes ocupado pela Secretaria de Estado das Pescas, na Praça dos Heróis Nacionais, atualmente a sede da operadora móvel ORANGE.

Com a abertura política e a realização em 1994 das primeiras Eleições multipartidárias na história da República da Guiné-Bissau, surgiu a Assembleia Multipartidária que requeria outra estrutura dinâmica. Assim em janeiro de 1995, a Assembleia Nacional Popular foi transferida para um novo edifício, propriedade da CRUZ VERMELHA da Guiné-Bissau e a partir desta data, as reuniões plenárias eram realizadas no Hotel Bissau-Hotel.

Em 2 de junho de 1998, inaugurou-se a primeira Sede da Assembleia Nacional Popular “COLINAS DE BOÉ” na zona industrial de Brá, construída de raíz com o financiamento de TAIWAN. Contudo, o conflito de 7 de junho viria pouco depois destruir parcialmente o edifício.

Em 2000, de novo, o Governo Guineense entrou em negociações desta vez com a República da China, no sentido de construir um novo Palácio.  Assim, no âmbito da cooperação SINO-GUINEENSE, a atual sede da Assembleia Nacional Popular inaugurada em 23 de março de 2005.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: