Caso capital-fm SINJOTECS-AMPROCS apela investigação e responsabilização dos autores do ataque

Por: Ussumane Baldé

O sindicato dos jornalistas técnicos da comunicação social (SINJOTECS), repudia o ataque e vandalização da rádio capital FM, pede a intervenção imediata da comunidade internacional face a situação.

Falando na manhã desta terça-feira,08-02-2022, durante a conferência de imprensa realizada na casa dos dereitos, a presidente do SINJOTECS, garantiu que ninguém pode ofuscar ou comprometer a liberdade de expressão num país democrático, “condenamos o ocorrido naquela estação emissora do país e ninguém, ninguém mesmo pode calar liberdade da expressão”.

Ainda, segundo a Indira Correia Baldé é imediata a intervenção da comunidade internacional no país, “pedimos o acompanhamento da comunidade internacional face a vida dos jornalistas e técnicos do país”, lamentando o facto que o ministério do interior de considerar o ato de isolado, “é muito estranho ouvir o ministério interior dizer que o ato é isolado, e agora quem são os responsáveis das armas no país”, questionou.

Por outro lado,a associação das mulheres profissionais da comunicação social “AMPROCS”, condenou o ato e o considerando de bárbaro e inaceitável num país democrático como a Guiné-Bissau, “condenamos com veemência este ato bárbaro de tentar silenciar os profissionais da comunicação social”, precaviu Paula Silva de Melo.

Melo, lamentou o acontecido e manifesta a sua solidariedade com colegas da referida rádio particularmente os feridos, “nossa solidariedade com os colegas feridos e esperamos que haja justiça”, apelou.

A AMPROCS apela ainda as autoridades a assumirem a sua responsabilidade de zelar pela proteção e segurança da população em geral e no caso específico dos jornalistas sobretudo durante o exercício da profissão e ao mesmo tempo lembrar que o direito a informação e a liberdade de expressão estão consagrados na constituição da república da Guiné-Bissau.

De acordo com a presidente do SINJOTECS,Indira Correia Baldé,há cinco jornalistas feridos e uma num estado muito crítico, trata-se da jornalista Maimuna Barri,e está é segunda vez que a rádio capital é vandalizada por pessoas não identificados.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: