Cabo-Verde: vai implementar “Ensino Recorrente” para envolver jovens fora do sistema educativo

O Governo Cabo-Verdiano vai lançar brevemente um programa de superação educativa e técnico profissional dos jovens denominado “Ensino Recorrente”, para responder às demandas daqueles que estão fora do sistema educativo e que não concluíram o ensino secundário.

O anúncio foi tornado público esta manhã pelo primeiro-ministro, durante a cerimónia de apresentação de projectos de “Prevenção e Combate à Violência Urbana e Delinquência Juvenil”, e que se acredita ser uma oportunidade de conserto de alguns caminhos de volta à segurança na cidade da Praia.

Ulisses Correia e Silva revelou que se pretende com este programa, proporcionar aos jovens dos 17/18 anos abrangidos neste projecto o acesso ao mercado de trabalho, com garantias de, a curto prazo, poderem ter uma ocupação.

“O programa de formação e empreendedorismo, dirigido a jovens em situação de vulnerabilidade económica, social e familiar está a ser trabalhado com o IEFP em programas muito dirigidos; ocupação de tempos livres, um problema que existe, o desporto, a cultura, a redução da taxa de reincidência através do programa de reinserção social económica de ex-reclusos”, explicou.

Considerou ser isto tudo prevenção, tendo chamado a atenção de todos para a criação de percepção generalizada de que o crime não compensa, salientando que existe elevado risco de que quem comete deve ser alvo de acção judicial e policial, pelo que considerou “determinante” eliminar o sentimento de impunidade.

“Isto é importante porque não há nenhuma sociedade que consegue avançar quando estas percepções, para além de serem meras percepções, coincidem muito com a realidade. Temos de trabalhar fortemente, relativamente a isto” sublinhou Correia e Silva, para quem torna-se necessário melhorar o ambiente urbano, a ordem pública, a iluminação pública e eliminação dos becos e vários esconderijos.

Ressaltou a importância de sensibilizar a todos, mediante a comunicação para paz e tranquilidade social, do respeito pela liberdade dos outros e a noção dos limites, tendo considerado “muito importante o papel da comunicação social” nesta matéria, razão pela qual considerou “determinante” a implementação de programas e acções dirigidas à mudança de percepções e de valorização social e de comportamentos.

Dificultar o acesso às armas, as munições e as drogas foi ainda apontado pelo chefe do Executivo como um trabalho “importante”, ao mesmo tempo que exortou para iniciativas que desestimulem o crime e, ambientes que propiciem situações da desordem e de violência provocada por actividades na via pública, e em espaços que estimulem o consumo desregrado de álcool.

A iniciativa governamental envolve os projectos “Ami ê di Paz y bó?” que sirva de base no combate à violência urbana e delinquência juvenil, facultando oportunidades de formação e capacitação profissional, não só para a cidade da Praia, mas para todo o arquipélago, “Reerguer”, da Paróquia de São Paulo Apóstolo, direccionado a ex-reclusos e seus respectivos familiares e comunidade das zonas de Casa-Lata e Cobon/Fonton.

Também foi enquadrado neste projecto o projecto da “Associação HotuRumo”, no quadro da Prevenção e Combate à Violência Urbana e Delinquência Juvenil”, virado para trabalhar junto dos ex-reclusos com medidas e políticas preventivas para se encontrar soluções para a reinserção social e melhoria da sociedade.

INFOPRESS

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: