Aviso de greve Educação: Frente Comum ameaça paralisar setor de ensino público

Por: Martinho Mendes

O Sindicato Democrático dos professores (SINDEPROF) e Frente Nacional dos Professores e Educadores ( FRENAPROFE), ameaçam paralisar nos próximos tempos todas as atividades laborais no setor de ensino público guineense.

Em causa o silêncio do Governo na implementação da nova tabela de grelha salarial aos trabalhadores, pagamento dinheiro da carga horária e o pagamento de cinco meses de salários em atraso aos professores de novo ingresso do ano lectivo 2021/2022.

Em conferência de imprensa realizada esta terça-feira, 15-03-2022, o presidente de SINDEPROF e porta-voz da frente comum, Alfredo Biaguê, ponderam avançar com as paralisações nos próximos tempos as atividades de docência caso o executivo não aplicar nova tabela de grelha salarial.

O sindicalista acusa governo liderado por Nuno Gomes Nabiam na inflexibilidade em resolver as exigências da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné Central Sindical (UNTG).

“ O Governo comprometeu em diferentes ocasiões pagar dinheiro da carga horária mas não cumpriu com a sua promessa e muito menos levar em conta as exigências da UNTG”, afirmou o sindicalista.

O docente apela o governo a abster-se de atos de retaliação aos professores por motivo de, estes, aderirem greves convocadas pela UNTG e recorrer por via de diálogo.

Por fim, Alfredo Biaguê exortou a classe docênte guineense a se unirem em torno da defesa dos seus direitos laborais.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: