Ativistas da Sociedade civil participam na formação sobre criminalidade organizada e tráfico de droga

DE: Laercia Valeriana Insali

A Liga Guineense dos Direitos Humanos, iniciou esta terça-feira 25/05/2021, uma formação de três dias com ativistas da Sociedade civil, incluindo os das regiões, jornalistas e representantes das organizações das mulheres e das associações juvenis em matéria de criminalidade organizada e tráfico de drogas.

A abertura da cerimônia contou com a presença do presidente da LGDH, Representante de PNUD e do UNODC.

O presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, declamou que na Guiné-Bissau persiste um conjunto de fatores sociais, econômicos e políticos que facilitam o crescimento de redes de criminalidade organizada, relativo ao tráfico de drogas, corrupção e branqueamento de capital, considerando que estes fatores são causados pela ausência de vontade política para mudança de paradigma.

E acredita que o combate a criminalidade organizada requer do Estado maior vínculo com seus congéneres e com os cidadãos, como forma de corresponder aos desafios impostos pelas redes criminosas.

Ainda, segundo Augusto Mário, para promover maior transparência e responsabilidade dos decisores públicos na definição e implementação de políticas públicas ligadas a segurança e a justiça, é fundamental reverter a atual tendência no país, o que passa necessariamente pela intervenção da Sociedade civil.

Considerando que a prevenção da criminalidade organizada requer uma atenção integrada, Mário articulou que a LGDH irá trabalhar diretamente com diversos atores sociais e políticos para promoção de mudanças capazes de otimizar o impacto da intervenção da Sociedade civil e capitalizar as suas redes de contato para desenvolver ações de advocacy para prevenção a criminalidade organizada em todo território nacional.

Em representação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Luana Natali, demonstra que para uma mudança de paradigma, o reforço de capacidade institucional das organizações em defesa dos Direitos Humanos para abrandar riscos de insegurança, violações de direitos humanos, corrupção e tráfico de drogas, é fundamental.

De salientar que, a iniciativa é financiada pelo programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes e o Global Initiative, no âmbito do programa de reforço de capacidade da sociedade civil no combate a economia ilícita.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: