António Nhaga “Guiné-Bissau assiste um jornalismo de bajulação que conduz um debate xinófobo, injúrias”

Por: Epifania Correia Gomes

O Bastonário da Ordem dos jornalistas da Guine-Bissau, afirmou hoje, 13.11.2021, que assiste-se no país o jornalismo de bajulação que está a conduzir um debate cinófobo e de injúrias dentro de um Estado de Direito Democrático.

António Nhaga falava no ato da sua posse como Bastonário da ordem dos Jornalistas pela segunda vez consecutivo na qual sublinhou que a ordem almeja formar a nova geração dos Jornalistas para o bem do país que estarão comprometidos com a ética e capacitados para atuar em os meios eletrónicos da comunicação.

O decano da comunicação guineense disse que  deve-se combater os jornalistas não desenvolvimentistas que funcionam apenas pela interesse de um pequeno grupo dominante da sociedade que não asseguram o novo nível de desenvolvimento num estado de direito democrático .
 

“A ordem do jornalista da Guine-Bissau deve estabelecer um jornalismo com forte disciplina de verificação, o que leva o jornalista a não acrescentar nada  que não existe no seu artigo”, Frisou.

Ainda no seu discurso António Nhaga defende a necessidade e urgente acabar com baixa exigência ética do jornalismo no país, salientando que isso ajudará oferecer condições necessárias para acabar com géneros de jornalismo de trocar apenas palavras e não relatar fatos.
 
Por outro lado o Bastonário acrescenta que os jornalistas devem ter capacidade de justificar moralmente as suas escolhas públicas das fontes de informação que utilizam para produzir notícias com base na transparência na prestação de contas ao público através  da produção diária de notícias.
 
Na mesma ocasião, o Presidente da mesa de assembleia geral, Alfredo Maria Gomes sublinhou a existência dos Jornalistas políticos declarados nas órgãos de comunicações, frisando que a sociedade guineense está a perder confiança no setor devido a parcialidade na forma de fazer informação.

O jornalista sustenta que “só mudo que não é jornalista na Guine-Bissau” afirmando que o ingresso na profissão está banalizado, aconselhou as organizações da classe A fazerem a única frente para o bem da mesma  e disciplinado o setor para não perder o pouco de confiança que ainda resta.
 
Os novos corpos sociais da ordem dos Jornalistas da Guine-Bissau tomaram posse hoje para um mandato de três anos, dos referir que António Nhaga foi reeleito o Bastonário da ordem de jornalistas da Guine-Bissau a cinco de Junho de 2021 num congresso na qual obteve 37 votos a favor num universo 37 votantes.

Ato que decorreu na casa dos direitos, contou com a presençadas diferentes organizações que defendem a classe jornalistica guineense nomeadamente Sinjotecs, Sinpopucs, Conselho nacional da comunicação social,representante do ministério da comunicação social e PNUD.
 

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: