ADECOFARP-GB pede intervenção do PR Embalo para a resolução de seus problemas

Por: Ussumane Baldé

Bissau-25-04-2022 A associação dos ex-combatentes das forças armadas portuguesa no país celebra o 25 de abril, sentindo abandonados, comandos como eram apelidadados culpam o estado guinnense de não querer resolver as suas situações junto ao governo português, solicitam a intervenção do Presidente da república.

A revolução dos cravos de 1974 em Portugal não se passou despercebida no país tudo porque os antigos combatentes portugueses no país decidiram manifestar a data e expondo o desagrado, que segundo o seu presidente, o estado Português mostrou total disponibilidade em encontrar a solução. A dificuldade maior para sua execução preende-se com a não participação do estado guinnense no processo.

“Sentimos desprezados e não reconhecidos, tudo porque o país está a dificultar as normas que nos podem tirar desta situação e exigimos a intervenção do Sissoco”.

Amadu Jão, disse que a as suas preocupações já se encontra na assembleia nacional português para que governo possa resolver as exigências que constam no caderno reivindicativo ora enviado.

“Os pontos reivindicativos já é do conhecimento da ANP português e como não fomos reconhecidos não vamos participar nas próximas eleições legislativas no país”.

De acordo com o presidente da associação,os pontos em causa é, tornar nacionalidade português a todos eles, terem acesso a tratamento médico, construção do centro hospitalar, pagar pensão e recolha dos restos mortais de ex-combatentes africanos que se encontram nas valas comum.

25 de abril de 1974 conhecido como a revolução dos cravos, refere-se a um evento da história de Portugal resultante do movimento político e social, ocorrido a 25 de abril de 1974, que depois o regime ditatorial do estado novo.vicente desde 1933 e que iniciou um processo que viria e terminar com a implantação de um regime democrático e com a entidade em vigor nova constituição a 25 de abril 1976 marcada por forte orientação socialista.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: