ACOBES denúncia entrada clandestina dos medicamentos de origem duvidoso

Por: Cintia Ross Dayves

A Associação dos consumidores dos bens e serviços (ACOBES), manifestou-se esta, quinta-feira, 27-01-2022, a sua preocupação face a entrada clandestina dos medicamentos duvidosos no país.

A inquietação é do secretário geral da referida organização Bambo Sanha, registrada numa conferência de imprensa realizada na sede do Movimento Nacional de Sociedade Civil para a Paz democracia e desenvolvimento na qual considera a atitude de abusiva e chama atenção aos consumidores guineenses, sustentando ainda que se assiste a importação clandestina e ilegal dos medicamentos de proveniências duvidosas e sem garantia de qualidade.

Para além de manifestar preocupado com a atitude é que segundo ele muita das vezes os medicamentos são vendidos por pessoas sem mínima preparação na área, intoxicando assim a saúde da população e pede o controlo das autoridades competentes assim como o saneamento do mercado e as farmácias do país.

Sanhá mostrou-se indignado com o aumento galopante de preços dos matériais de construção na sua generalidade no mercado nacional destacando cimento, tabuas, ferros ,tinta, cal entre outros.

“Os preços da fábricas nacional de cimento, constitui uma preocupação enorme em que um saco de cimento da fábrica local é mais caro do que o importado sem informações claras aos consumidores e o mesmo se verifica nas caixas de sabão de produção local” criticou.

Um outro assunto que não escapou o olhar do ativista tem a ver com a necessidade urgente de baixar o preço de combustíveis e gáz convista reduzir as dificuldades do povo.

De acordo com Sanha apesar da baixa do preço de combustível no mercado mundial devido a pandemia da covid- 19,o mercado nacional não beneficia desta redução do preço que se aplica até neste momento não está atualizado há mais de dois anos, segundo ele o facto deve-se a desorganização no sector de combustíveis.

Bambo Sanhá, apela as autoridades nacionais a baixarem os preços dos produtos da primeira necessidade como arroz, farinha, óleo alimentar, açúcar, leite, sabão, os preços dos materiais de construções assim com o preço de combustíveis e gás de cozinha e harmonizar preços dos medicamentos nas farmácias nacional e o registo obrigatório das mesma.

Autor: CAP-GB

Partilhe este artigo

cap gb o amanha começa aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva email noticias cap-gb

capgb info email seja assinante: